Contatos

twitter: @LabSisUFRN; telefone: 84 3215-3796;
facebook: LabSis Ufrn

domingo, 14 de dezembro de 2014

Novo tremor na cordilheira meso-oceânica em 10/12/2014

    Antes dos dados do evento uma pequena história. Na manhã do dia 10, olhando o registro de 24 h da estação RCBR, me deparei com um evento semelhante ao evento da cadeia meso-oceânica do dia anterior (Figura2).  Procurei então saber se os parâmetros do mesmo haviam sido calculados pelo USGS. Nada. Pelo EMSC. Nada. Pelo IAG/USP. Nada.
    Escrevi então para meu amigo José Roberto Barbosa, experiente analista do IAG/USP, para que ele me ajudasse a esclarecer esse mistério. Finalmente a resposta foi postada no site do IAG ( http://www.moho.iag.usp.br/portal/events/usp2014ydbo) e minha conjectura foi confirmada.
    O tremor ocorreu no dia 10 às 05:03 UTC e teve magnitude 4.2. O epicentro foi localizado a aproximadamente 100 km a E de São Pedro e São Paulo (portanto, bem mais próximo que o evento do dia 09, e dentro, também, da zona econômica exclusiva do Brasil).  A distância do evento para outras localidades foi de aproximadamente 680 km a NE de Fernando de Noronha, 1.020 km a NE de Touros, 1.050 km a NE de Natal e a 1.230 km a ENE de Fortaleza.
    O mapa de localização do evento está na Figura 1.


Figura 1. Mapa de localização epicentral. O epicentro do sismo está simbolizado pela estrela vermelha. O triângulo vermelho indica a localização da estação de Riachuelo (RCBR).
    O registro do evento na estação RCBR está na Figura 2.


Figura 2. Sismograma de 24h da estação RCBR. O registro do evento está dentro do retângulo vermelho. Dentro do retângulo verde, acima, está o evento do dia 09/12.
Fonte: LabSis/UFRN, IAG/USP
Joaquim Ferreira

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Novo tremor sentido em Paramoti-CE em 07/12/2014

    Fomos informados por Alternam Gomes, de Paramoti, de que um tremor de terra havia sido sentido na cidade no domingo pela manhã.
    Temos uma estação em operação na cidade (PABR) mas, por problemas técnicos, não tivemos acesso a ela via internet. A partir dos registros da estação de Morrinhos (NBMO) o técnico Eduardo Menezes pôde constatar que, de fato, esse tremor ocorreu e teve magnitude preliminar estimada em 2.0. A hora do evento foi 14:39 UTC (11:39, hora local).
    O registro do evento em NBMO está mostrado na Figura 1.

Figura 1. Registro do evento na estação NBMO.
Fonte: LabSis/UFRN; RSISNE; INCT-ET
Eduardo Menezes, Joaquim Ferreira

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Novo tremor na cordilheira meso-oceânica em 09/12/2014

     Hoje,  09/12, às 07:34 UTC, ocorreu um novo tremor na dorsal meso-oceânica desta vez de magnitude 4.8. O epicentro do tremor está localizado a aproximadamente 210 km a NW de São Pedro e São Paulo,   a 705 km  a NNE de Fernando de Noronha, a 1.030 km a NNE de Natal e a 1.110 km a NE de Fortaleza. Dada a distância a São Pedro e São Paulo, menor que 200 milhas (370 km) esse evento ocorreu na zona econômica exclusiva do Brasil.
    O mapa de localização epicentral está na Figura 1.

Figura 1. Mapa de localização epicentral. O epicentro do sismo está simbolizado pela estrela vermelha. O triângulo vermelho indica a localização da estação de Riachuelo (RCBR).
    O registro do evento na estação RCBR é mostrado na Figura 2.

Figura 2. Sismograma de 24h da estação RCBR. O registro do evento está dentro do retângulo vermelho.
Fonte: LabSis/UFRN, USGS
Joaquim Ferreira

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Seminário LabSis de 04/12/2014

    Hoje, quinta-feira, dia 04/12, às 15:30 h, no auditório do Módulo REUNI do Departamento de Geofísica, acontece o décimo segundo e último seminário do LabSis, do ciclo de 2014. O palestrante será o doutorando Paulo Henrique Oliveira. 

Título:  
SISMICIDADE E ESFORÇOS TECTÔNICOS NA REGIÃO NOROESTE DO CEARÁ

Resumo:

    A porção noroeste do estado do Ceará é uma das principais regiões com sismicidade ativa dentro da Província Borborema. Apesar de existir relato de um abalo sísmico ocorrido em 1810, na cidade de Granja, somente a partir de 1988 foi possível estudar a sismicidade da região instrumentalmente.
A partir de janeiro de 2008, a atividade sísmica na região aumentou consideravelmente. Em junho de 2008 foi instalada uma rede sismográfica com 11 estações digitais na serra da Meruoca (incluindo a estação SBBR, ativa na região desde agosto de 2007) e em 2009, outra rede foi instalada na cidade de Santana do Acaraú, com até 7 estações digitais. Os resultados que serão mostrados foram obtidos através da análise dos dados registrados nessas duas redes, principalmente.
    As áreas epicentrais estão localizadas nas proximidades da parte nordeste do Lineamento Transbrasiliano, uma zona de cisalhamento com trend NE-SW que corta a região de estudo. Os hipocentros estão localizados entre 1 km e 8 km abaixo da crosta, que possui aproximadamente 33,5 km de espessura, sob as redes de estações. Os mecanismos focais encontrados foram do tipo transcorrente, os quais predominam na Província Borborema.
    Foi realizada uma integração entre dados sismológicos, geológicos e aeromagnéticos com o auxílio de pesquisadores de outras universidades. Além disso, foi atualizado a direção do  SHmax (esforço máximo) na região com uma inversão de sete mecanismos focais espalhados pela região e usamos as direções dos falhamentos sismogênicos, obtidos através dos mecanismos focais, para auxiliar na determinação da direção do esforço.
    Estudos anteriores mostraram que a direção do SHmax na região nordese do Brasil tem direção paralela à costa e extensão N-S, perpendicular à costa (Assumpção, 1992; Ferreira et al., 1998).

Fonte: LabSis/UFRN
Paulo Henrique Oliveira, Jordi Julià,  Joaquim Ferreira

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Seminário LabSis de 20/11/2014

    Hoje, quinta-feira, dia 20/11, às 15:30 h, no auditório do Módulo REUNI do Departamento de Geofísica, acontece o décimo primeiro seminário do LabSis, do ciclo de 2014. O palestrante será o Dr. Peter Bormann, pesquisador visitante do LabSis, sismólogo renomado que por muitos anos trabalhou no GFZ German Research Centre e foi o editor do New Manual of Seismological Practice, do IASPEI (International Association of Seismology and Physics of Earth Interior). 

Título:  History and Future of Seismology

Resumo:



    The talk spans the time from 1831 BC, when Chinese chronicles report about the „Shaking of the Taishan Mountain“ in the Province of Shantung, up to our times and current dreams. The lecture highlights the tremendous conceptual influence of the great Greek naturalists, philosophers and geographers. Their ideas dominated the way of thinking about the nature of earthquakes for almost 2000 years. Only with the period of Enlightenment, since about the 17h century, begins a rapid and complex development. It is driven by pioneering innovative new concepts. They have been developed by mathematicians and physicists working in the fields of theoretical mechanics and later also electrodynamics, by geologist and some 200 to 100 years later also by mechanical engineers, instrument developers and first geophysicists.
    Of crucial importance for the progress of seismology has been the development of international border-crossing cooperation in monitoring and data exchange since the turn from the 19th to the 20th century, the introduction of electrodynamic sensors since the early 20th century, the booming of analog seismology after WWII, driven both by devastating earthquake disasters as well as the demands of the nuclear test-ban control communities of the atomic powers. Crucial impact had the great international cooperative research projects such as the international Geophysical Year (1957-59), the Upper Mantle Project (1960-70), the Geodynamic Project (IGP, 1980-90), the United Nations International Decade for Natural Disaster Reduction (IDNDR, 1990-1999) and the Global Seismic Hazard Assessment Project (GSHAP, 1990-2000). But the largest influence, as in many other fields of applied science, had the digital revolution since the mid-1970s with the rapid advancement of broadband, high-dynamic range, miniaturized and new principles of sensors as well as of the global reach of near-real-time data transmission and processing technologies. The resulting flood of data necessitated increased automated data analysis, the calculation of myriads of model solutions, but often at the expense of data quality, complex problem understanding, lack of really new ideas and deeper insights. Although the precision of model-based solutions has steadily been increased this  is not equally the case with respect to the accuracy of our  knowledge in terms of “ground truth”. We should discuss the consequences and perspectives of such a development.


Fonte: LabSis/UFRN
Peter Bormann, Jordi Julià, Rodrigo Pessoa, Joaquim Ferreira

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Tremor de terra em Coreaú-CE em 16/11/2014

    Ontem, 16/11, fomos informados pelo Sub-tenente Marcos Costa e pelo Sr. Nogueira, da Defesa Civil de Sobral, de que tremores de terra tinham sido sentidos na região de Sobral, em particular no distrito do Jordão. Outras informações que nos chegaram indicavam que um tremor de terra tinha sido sentido no município de Coreaú na madrugada do dia 16. 
    As primeiras análises dos dados foram feitas ontem mesmo pelo técnico Eduardo Menezes que verificou que havia ocorrido um evento no dia 16/11, às 05:17 UTC (02:17 hora local) e,  para sua surpresa,  foi bem registrado por várias das estações operadas pela UFRN no NE do Brasil, inclusive RCBR, a mais de 550 km de Sobral. 
    Uma análise mais acurada dos dados concluiu que o epicentro está localizado no município de Coreaú, a aproximadamente 8 km ao sul da cidade, e a magnitude do evento foi 2.9.
    O mapa de localização epicentral encontra-se na Figura 1.

Figura 1. Mapa de localização epicentral. O epicentro do sismo está simbolizado pela estrela vermelha. O triângulo vermelho indica a localização da estação de Sobral (SBBR). Em destaque (azul escuro), o limite do município de Coreaú.
    O registro do evento na estação SBBR é mostrado na Figura 2.

Figura 2. Registro do evento na estação SBBR.
Fonte: LabSis/UFRN; RSISNE; INCT-ET
Joaquim Ferreira, Eduardo Menezes, Regina Spinelli

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Seminário LabSis de 13/11/2014

    Hoje, quinta-feira, dia 13/11, às 15:30 h, no auditório do Módulo REUNI do Departamento de Geofísica, acontece o décimo seminário do LabSis, do ciclo de 2014. O palestrante será o mestrando Odmaksuel Dantas. 

Título:  Determinação de Estrutura de Subsuperfície num Campo de Petróleo Utilizando Ruído Sísmico Ambiente

Resumo:


    Para explorar reservatórios não convencionais como o shale-gas, com baixa permeabilidade, ou melhorar a produção de campos ditos maduros, o uso do fraturamento hidráulico para estimulação do reservatório tem crescido a cada ano na indústria do petróleo. Devido à injeção de fluidos pelo processo, ocorrem mudanças físicas no reservatório que precisam ser monitoradas para melhorar os procedimentos de campo e então maximizar a produção. O monitoramento microssísmico provou ser uma ferramenta bastante valiosa para compreender os processos subterrâneos causados pela utilização do fraturamento hidráulico (Warpinski H., 2009). 


    Por sua vez, os registros microssísmicos obtidos pelo monitoramento, necessitam de técnicas especiais e sofisticadas de análise e processamento, que permitam extrair o máximo de informação possível sobre a zona afetada no reservatório. A Interferometria de ruído ambiente (ANSI) tem sido proposta para análise de registros ruidosos e pode ajudar no caso. A técnica consiste em extrair a função de Green, ou seja, em realizar a correlação cruzada de pares de registros de receptores de ruído sísmico simulando um par fonte-receptor virtual (redatum trace) (Schuster, 2009) para medir o grau de similaridade entre dois registros. Suas vantagens são o fato de ser uma técnica não-invasiva e de não necessitar de uma fonte conhecida, além do baixo custo relativo. Em particular, no monitoramento das operações de hidrofraturamento, as diversas fontes de ruído (bomba, tráfego de pessoas e veículos) dificultam a visualização nos registros dos sinais gerados pela fonte sísmica. A Interferometria é utilizada para extrair a parte coerente do registro ruidoso associada com uma fonte pontual como um microssismo (Eisner et al., 2008). Dessa forma, utilizando-se o “ruído” sísmico ambiente podem-se determinar as estruturas e as velocidades da subsuperfície num campo de petróleo.
    Nesta palestra será apresentado o plano de trabalho do palestrante, abordando a técnica de Interferometria sísmica.


Fonte: LabSis/UFRN
Odmaksuel Dantas, Jordi Julià, Rodrigo Pessoa, Joaquim Ferreira

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Novo tremor na cordilheira meso-oceânica em 03/11/2014

     Hoje,  03/11, às 08:27 UTC, ocorreu um novo tremor na dorsal meso-oceânica desta vez de magnitude 5.1. O epicentro do tremor está localizado a aproximadamente 560 km a NW de São Pedro e São Paulo,   a 960 km  a N de Fernando de Noronha, a 1.150 km a NE de Fortaleza, a 1.200 km a NE de Acaraú e a 1.210 km a NNE de Natal.
    O mapa de localização epicentral está na Figura 1.

Figura 1. Mapa de localização epicentral. O epicentro do sismo está simbolizado pela estrela vermelha.
Fonte: LabSis/UFRN, USGS
Joaquim Ferreira

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Novo tremor na cordilheira meso-oceânica em 22/10/2014

    No dia 22/10, às 21:56 UTC ocorreu um novo tremor na dorsal meso-oceânica desta vez de magnitude 5.3. O epicentro do tremor está localizado a aproximadamente 1.371 km a NE de Caiena (Guiana Francesa),  a 1.850 km  a NNE de Belém, a 1.930 km a N de São Luís, a 2.160 km a NNW de Fortaleza e a 2.300 km a NW de São Pedro e São Paulo.
    O mapa de localização epicentral está na Figura 1.

Figura 1. Mapa de localização epicentral. O epicentro do sismo está simbolizado pela estrela vermelha. O triângulo vermelho indica a localização da estação de Riachuelo (RCBR).
    O registro do evento na estação RCBR é mostrado na Figura 2.

Figura 2. Sismograma de 24h da estação RCBR. O registro do evento está dentro do retângulo vermelho.
Fonte: LabSis/UFRN, USGS
Joaquim Ferreira

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Novo tremor na cordilheira meso-oceânica em 21/10/2014

    Ontem, 21/10, às 23:11 UTC ocorreu um novo tremor na dorsal meso-oceânica desta vez de magnitude 5.0. O epicentro do tremor está localizado a aproximadamente 414 km a S da ilha de Ascensão,  a 2.170 km  a SE de São Pedro e São Paulo,  a 2.180 km a ESE de Fernando de Noronha, a 2.300 km a ESE de Recife e a 2.400 km a ESE de Natal.
    O mapa de localização epicentral está na Figura 1.

Figura 1. Mapa de localização epicentral. O epicentro do sismo está simbolizado pela estrela vermelha. O triângulo vermelho indica a localização da estação de Riachuelo (RCBR).
     O registro do evento na estação RCBR é mostrado na Figura 2.

Figura 2. Sismograma de 24h da estação RCBR. O registro do evento está dentro do retângulo vermelho.
Fonte: LabSis/UFRN, USGS
Joaquim Ferreira